1988

  • Morre Radamés Gnattali, em 03 de fevereiro, aos 82 anos. Seu corpo é velado no hall do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e depois levado para o cemitério São João Batista, em Botafogo [1]. 

 

 

 

recortes_

 

Jornal do Brasil (RJ), 04/02/1988 >
Por Luiz Paulo Horta

 

 

 

Sinfonia Popular nº 1
II – Lento com fantasia (trecho)
Orquestra Sinfônica Brasileira
Claudio Santoro, regente
[ Selo Festa – Irineu Garcia -LDR5021 ]

 

 

 

  • Em 11 de fevereiro, realiza-se um concerto no Teatro João Caetano, organizado pelo poeta, compositor e escritor Hermínio Bello de Carvalho – Obrigado Radamés – Tributo a Radamés Gnattali. Participam do encontro vários músicos, amigos e admiradores do maestro.

 

 

  • O Festival Villa-Lobos, de 1988, é dedicado à memória de Radamés Gnattali, com execução de várias de suas obras, ao longo de seis concertos.

 

 

 

  • Em 05 de outubro é promulgada a Constituição da República Federativa do Brasil. O país volta à normalidade democrática.

 

 

 

 

 

 

 

 

______________

  • [1] Fonte: Hemeroteca da Biblioteca Nacional – Jornal do Brasil, 04/02/1988  <  Um gênio da música total  > Textos de João Máximo e Luiz Paulo Horta.