Radamés e seu tempo 1941-1950

1905-19101911-1920 | 1921-1930 | 1931-1940 | 1941-1950 | 1951-1960 | 1961-1970 | 1971-1980 | 1981-1990 | 1991-2000 | 2001-2010 | 2011-2020 

Preloader
  • 1941

    • Lançado, na Argentina, o programa Hora do Brasil (Instantâneos Sonoros), da Rádio Municipal de Buenos Aires, transmitido em cadeia com a Rádio Nacional de Montevidéu (Uruguai). Radamés é contratado para organizar a orquestra da rádio e participar do programa. Em março, muda-se com a família para Buenos Aires, lá residindo por um semestre. Como reforço à orquestra, Radamés leva, do Brasil, os músicos Aristides Zacarias (saxofone), Marino Pissiali (trompete), Fernando Herman (violino) e Luciano Perrone (bateria) [1].

             recortes_1941. Sintonia

        profissional_  

    Recepção dos artistas locais quando da chegada de Radamés à Argentina, em março de 1941.

       
    • Na Argentina, a Associação Sinfônica do Rosário e o Instituto Argentino de Cultura Integral homenageiam Radamés executando obras de sua autoria, como o Concerto nº 1 para piano e orquestra (1934).
       
    • Na Escuela de Arte Cristiano Beato Angélico, Argentina, é apresentado o ciclo de canções Três poemas de Augusto Meyer (1931-1935), de Radamés, com a soprano brasileira Christina Maristany e o autor ao piano.
       
    • Em 09 de junho, no Instituto Argentino de Cultura Integral, são apresentados, de Radamés, a Rapsódia Brasileira (1930), o Quarteto n.º 1 (1939) e outras canções. Como solistas, o Cuarteto Renascimiento, a soprano brasileira Christina Maristany, o baterista Luciano Perrone e o autor, ao piano.
      programas_    
    • De volta ao Brasil, Radamés é agraciado com o Prêmio Roquete Pinto pelos serviços prestados ao engrandecimento do rádio e da música brasileira.
       
    • Radamés compõe:
      • Concerto para violoncelo e orquestra de câmera – dedicado a Iberê Gomes Grosso
      • Concerto para violoncelo e piano (redução da parte de orquestra para piano)
      • Divertimento para quarteto de cordas e piano (composto em Buenos Aires)
      • Morena, morena para canto e piano
      • Música para rádio (coletânea de 8 peças originais, arranjadas para orquestra, compostas entre 1941 e 1959)
      • Ninando, para canto e piano com José Tisbierek – sobre tema popular brasileiro
      • Poema relativo para canto e piano – sobre poema de Jorge de Lima
      • Prelúdios nº 3 para piano – dedicado ao pianista espanhol Tomás Terán
      • Prenda Minha, para canto e piano (tempo de polca) – motivo popular – harmonização de Radamés
      • Tayeras (chula), para canto e piano (melodia do norte do Brasil, ambientada por Radamés Gnattali) – dedicada a Gastón Talamón.
       
    • Nasce, em Porto Alegre (RS), o pianista Roberto Szidon (José Roberto Szidon) que grava, em 1978, o elepê Radamés Gnattali – obras para piano / Piano Works, na Deutsche Grammophon.
       
    • Uma comissão de músicos encabeçada por Villa-Lobos e integrada por Oscar Lorenzo Fernandes, Brasílio Itiberê, Arnaldo Estrela, Radamés Gnattali, entre outros, é recebida em palácio pelo presidente Getúlio Vargas. Villa-Lobos, na ocasião, lê o memorial dos músicos brasileiros.
      profissional_    
    • É criada a Companhia Atlântida Cinematográfica, que dá novo impulso ao cinema brasileiro.
     
    • Walt Disney e equipe vêm ao Brasil com apoio da política de boa vizinhança e cooperação entre os países americanos, instituída pelo governo dos Estados Unidos, desde 1933. Dessa visita, nasce o personagem Zé Carioca, apresentado no filme Alô Amigos, em 1943 e Você já foi à Bahia? em 1944. Disney escolhe o samba Aquarela do Brasil, de Ary Barroso, para musicar o filme Alô Amigos.
     
    • Getúlio Vargas cria a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), em Volta Redonda, RJ [2].
            __________
    • [1] Leia a reportagem completa em Recortes > 1941 – Sintonia.
    • [2] FGV/CPDOC: Fundação da CSN
                     
  • 1942

    • Morre, em Porto Alegre (RS), aos 66 anos, Alexandre Gnattali, pai de Radamés.

     

    raizes_
    Alexandre Gnattali, professor de piano, fagotista e maestro. Leia mais em Acervo > fotos > raízes

     

     

    • Quando fala Radamés Gnattali, por Miguel Curi, para o jornal A Noite (RJ).

     

    recortes_
    Leia a entrevista completa em Recortes

     

    • Em 26 de abril, a BBC transmite o programa radiofônico A Voz de Londres em que é apresentado o recital da pianista neozelandesa Esther Fisher, que executa a Rapsódia Brasileira (1930) de Radamés.

     

    • Em 26 de maio, na Escola de Música do Rio de Janeiro, é executada a Suíte para pequena Orquestra (1940), de Radamés Gnattali, pela Orquestra PROMUSICA, sob a direção do maestro Edoardo de Guarnieri.

     

    recortes_
    Diário de Notícias –  Sociedade Pró-Música.

     

     

    recortes_

    Folhetim do Jornal do Commercio (RJ) – Pelo mundo da música, por Andrade Muricy.

     

     

     

     

     

    • Em 4 de julho, o maestro Edoardo de Guarnieri rege a Suíte para pequena Orquestra (1940) no Estudio Auditório S.O.D.R.E, em Montevidéu (Uruguai); a obra é calorosamente recebida pelo público e crítica.

     

     

     

    • Radamés compõe:
      • Concertino para piano, orquestra de cordas e flautadedicado ao pianista Tomás Terán.
      • Sinfonia Miniatura [1] (obra não localizada)

     

     

    • Nasce, no Rio de Janeiro (RJ), o compositor e cantor Paulinho da Viola (Paulo César Batista Faria) que homenageia Radamés, em 1978, com o choro Sarau para Radamés. Em retribuição, Radamés compõe Obrigado Paulinho.

                

     

    • O Ministro da Educação e Saúde, Gustavo Capanema, cria o Conservatório Nacional de Canto Orfeônico, idealizado por Villa-Lobos, com a função de disseminar o ensino da música em toda a rede pública de ensino do Distrito Federal.

     

    • É instituído o cruzeiro como nova moeda brasileira, em substituição ao mil-réis.

     

    • Depois de ter navios torpedeados na costa nordeste, o Brasil declara guerra às forças do Eixo (Alemanha, Itália e Japão).

     

    • É instalada, no Brasil, no bairro de São Cristóvão, Rio de Janeiro, a primeira fábrica do refrigerante, norte-americano, Coca-Cola.

     

     

    ___________

    • [1] Título não encontrado no arquivo de Radamés, porém, citado no Boletim Informativo da Rádio Nacional (nº 2), de novembro de 1943, bem como no livro Radamés Gnattali – o eterno experimentador, de Valdinha Barbosa e Anne Marie Devos (Funarte-1984). É possível que a Sinfonia Miniatura seja, com título modificado,  as Três Miniaturas para orquestra – valsa, modinha e jongo, de 1940, constante no catálogo do compositor. Esta, por sua vez, é uma versão da Suíte miniatura (ou Três miniaturas), para piano solo, provavelmente, de 1935. Tal Suíte está citada em jornais da época, tais como o Correio da Manhã, de 14/04 e 17/08 de 1937  e 10/09 de 1938.

     

  • 1943

    • Após a morte do maestro Alexandre Gnattali, em 1942, sua esposa Adélia e seus filhos, Aída, Alexandre e Maria Terezinha, deixam Porto Alegre e transferem-se, definitivamente, para o Rio de Janeiro.

     

    • Às 21h35 do dia 6 de janeiro estreia, na Rádio Nacional, o programa Um milhão de Melodias, sob o patrocínio de Coca-Cola Refrescos S.A [1] . Radamés é convidado a assumir a direção musical do programa, atuando como pianista, arranjador e regente da orquestra. Inicialmente criado para lançar o refrigerante no Brasil o programa, comandado por José Mauro, permanece 14 anos no ar. Para atender à diversidade de repertório, exigida pelo novo programa, Radamés amplia a orquestra da casa à dimensão de uma sinfônica; completa os naipes das madeiras, metais, saxofones e cordas a arco, introduz a harpa, celesta e tímpanos. Na base rítmico-harmônica, dando sustentação a essa massa sinfônica, piano, percussão e um regional de choro completo [2].

     

    recortes_

     

    Ensaio de Um Milhão de Melodias.

     

     

    documento

     

     

    Abertura do programa Um Milhão de Melodias (prefixo de  Radamés Gnattali)

     

     

    • O pianista Arnaldo Estrela vence o concurso Columbia Concerts e, como prêmio, viaja aos Estados Unidos, onde se apresenta com as orquestras de Chicago, Washington e Filadélfia. No repertório, o Concerto nº 2 para piano e orquestra (1936), de Radamés Gnattali. Em Filadélfia, o maestro Eugene Ormandy, que dirigiu o concerto, escreve a Radamés, no alto da partitura: “For Mr. Gnattali, with admiration for this excellent concerto.”  

     

     

     

    • Radamés, que trabalhava na gravadora Victor desde 1933, transfere-se para a Continental (fundada nesse mesmo ano) e grava os choros Remexendo e Assim é melhor, de sua autoria, com um quarteto de saxofones formado por Zacarias, Quincas, Coruja e Sandoval.

     

    • Ainda neste ano, a gravadora Victor lança, de Radamés, o choro Tristonho e a valsa Entardecer, com a Orquestra Típica Victor.

     

     

    • Radamés compõe:
      • Canadiana para grande orquestra sobre temas folclóricos do Canadá, em homenagem ao amigo, pintor canadense, Jan Zach. 
      • Quarteto nº 2 para 2 violinos, viola e violoncelo – dedicado à Mina, apelido de Vera, sua primeira esposa.

     

     

    •  Nasce, em São Luiz (MA), o violonista Turíbio Santos (Turíbio Soares Santos), a quem Radamés dedica o primeiro dos Estudos para violão (1967), a Brasiliana nº 13 (1983) e a Pequena suíte (1985).

     

    • Morre, nos EUA, Rachmaninoff (Sergei Vasilievich Rachmaninoff), a quem Radamés admirava como um dos três maiores compositores do século XX, junto com Ravel e Béla Bartók

     

     

    • Estreia, no Rio de Janeiro, a peça Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues, um marco na história do moderno teatro brasileiro.

     

    • O governo promulga a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que regulamentou as relações entre patrões e empregados.

     

     

    __________

    • [1] Fonte: Hemeroteca da Biblioteca Nacional A Noite, 6 de janeiro de 1943  (Ver 1937, notas 1 e 2)
    • [2] A base rítmico-harmônica da Orquestra Brasileira de Radamés era assim formada: Radamés (piano), José Menezes, Garoto e Bola Sete (cavaquinho e 2 violões), Pedro Vidal Ramos (contrabaixo), Luciano Perrone (bateria e tímpanos), João da Baiana (pandeiro), Heitor dos Prazeres (caixeta ou prato-e-faca), Bide (ganzá).
  • 1944

    • Em transmissão ao vivo do dia 15 de maio, a Rádio Nacional do Rio de Janeiro realiza o 5º concerto da Grande Orquestra Sinfônica da emissora, sob a regência de Iberê Gomes Grosso (ou Léo Peracchi),  apresentando, em primeira audição, Canadiana, para orquestra (1943) de Radamés Gnattali [1].

     

    • Em 30 de maio, o duo de pianos Tomás Terán e Arnaldo Estrella apresenta-se no programa ONDAS MUSICAIS [2] transmitido pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro, entre outras emissoras, interpretando a Valsa para 2 pianos de Radamés, composta em 1933 e dedicada ao amigo pintor Cãndido Portinari.  

     

    Valsa para 2 pianos

     

     

    • Realiza-se, em outubro, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, o Festival de Música Brasileira, apresentando obras de Camargo Guarnieri, José Siqueira e Radamés Gnattali. Iberê Gomes Grosso sola o Concerto para violoncelo e orquestra (1941), de Radamés, com a Orquestra Sinfônica Brasileira, sob a regência do autor.

     

     

    recortes_
    Correio da Manhã (RJ) de 15/10/1944 > Festival de Música Brasileira, por Eurico Nogueira França.

     

    • Radamés compõe:
      • Brasiliana [nº 1] para grande orquestra  – dedicada a José Mauro
      • Serestas [nº1] para flauta, violão e quarteto de corda 
      • Tocata para piano  – dedicada à Maria Teresinha Gnattali, irmã de Radamés.

     

     

    • A FEB (Força Expedicionária Brasileira), finalmente, embarca para a Itália, incorporando-se ao Exército dos EUA.

     

    • Forças aliadas desembarcam na Normandia. É o chamado dia “D” da Segunda Guerra Mundial. Paris é libertada.

     

    • É inaugurada, no Rio de Janeiro, a Avenida Presidente Vargas.

     

    ___________

  • 1945

    • Primeira audição mundial do Concerto para violino e piano, com acompanhamento de quarteto de cordas (1933), de Radamés Gnattali, no Auditório da ABI (Associação Brasileira de Imprensa, RJ), durante o Terceiro Concerto da Sociedade Brasileira de Música de Câmara; como solistas, Radamés e Célio Nogueira; regente, Leo Peracchi.

     

    • Primeira audição sul-americana do Concerto nº 2 para piano e orquestra (1936), executado, em Montevidéu, Uruguai, pela pianista gaúcha Nise Obino [1], com regência do maestro Carlos Estrada.

     

    • A Orquestra Sinfônica da BBC de Londres executa e grava a Brasiliana [nº 1] (1944), sob a regência de Clarence Reybould [2].

     

    Brasiliana [nº 1]
    Brasiliana [nº 1]
     

    Brasiliana nº 1 para grande orquestra
    Orquestra Sinfônica Nacional
    Alceo Bocchino, regente
    SOARMEC – S-004 (1997)

     

     

    • Em 24 de novembro, é fundada por Villa-Lobos, no Rio de Janeiro, a Academia Brasileira de Música [3]. Como membro fundador, Radamés é eleito para ocupar a cadeira n.º 2.

     

    • A gravadora Continental lança, de Radamés Gnattali, o choro Fumaça do meu cachimbo, com Francisco Sergi e sua Orquestra.

     

     

     

    • Radamés compõe:
      • Melodias do Brasil – para piano a quatro mãos (para principiantes)

     

     

    • Morre, em São Paulo (SP), o poeta, jornalista, escritor, fotógrafo, ensaista, folclorista, musicólogo Mário de Andrade.

     

    • Morre, no Rio de Janeiro (RJ), o maestro e compositor Francisco Braga.

     

    • Morre, em Nova York, o compositor húngaro Béla Bartók, a quem Radamés admirava como um dos três maiores compositores do século XX, ao lado de Rachmaninoff e Ravel.

     

     

    • O governo decreta anistia para os presos políticos e Luís Carlos Prestes é posto em liberdade, depois de cumprir 10 anos de prisão.

     

    • No Brasil, as Forças Armadas forçam a renúncia de Getúlio Vargas, que parte para o exílio, em São Borja (RS). Encerra-se um ciclo de 15 anos de ditadura no Brasil, embora tenha sido, também, um período de conquistas de direitos trabalhistas.

     

    • É fundado o PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), cujos organizadores são fiéis a Vargas.

     

    • Realizam-se em todo o Brasil eleições para o Congresso e para a presidência da República.

     

    • Benito Mussolini é fuzilado por guerrilheiros italianos.  Adolf Hitler se suicida em seu bunker na Alemanha.

     

    • Fim da Segunda Guerra Mundial, em 8 de maio. Três meses depois, o governo dos Estados Unidos autoriza o lançamento da bomba atômica em duas cidades do Japão, Hiroshima e Nagasaki.

     

    __________

    • [1] Entrevista com a pianista Nise Obino – A Noite, 25/08/1945  (Fonte: Hemeroteca da BN) 
    • [2] O maestro envia a seguinte mensagem a Radamés:  “It has been a great pleasure for me, and the B.B.C. Symphony Orchestra, to record this delightful work.  I shall look forward to making  the acquaintance of more of Mr.Gnattali’s music, and also to playing ‘Brasiliana’  again.  Clarence Raybould.  Nov. 9. 1945”.
    • [3] Site da Academia Brasileira de Música: História
  • 1946

    • Morre, no Rio de Janeiro (RJ), aos 20 anos, Maria Terezinha Gnattali, irmã de Radamés. Dois anos antes, o compositor havia lhe dedicado a Tocata para piano solo.  Segundo a irmã Aída, Maria era muito estudiosa e tocava piano muito bem.

     

     

    Tocata para piano solo
    Fernanda Chaves Canaud, piano
    Jingle Jazz Records – JZ 22CD

     

     

    • Radamés completa 40 anos.

     

    em_foco_
    Uma antiga foto de jornal, única imagem de Radamés ao violão constante em seu arquivo particular.

     

     

    Caricaturas Tomas Teran

    Radamés, o pintor Jan Zach e Terán
    [Desenho : Tomás Terán]

     

     

    • Radamés assina o arranjo do samba-canção Copacabana, de João de Barro e Alberto Ribeiro, um dos marcos iniciais da moderna canção popular brasileira. A interpretação fica a cargo de Dick Farney. A orquestração chama atenção, tanto pela sonoridade, leve e moderna, quanto pela utilização de uma orquestra de cordas, fato que Radamés sempre fez questão de desmistificar: “O arranjo não tinha nada de mais, eu já usava cordas em arranjos há muito tempo. O que chamou atenção, mesmo, foi aquele sotaque americanizado do Dick”.

     

    • João de Barro (Braguinha) lança, pela gravadora Continental, os primeiros discos de historinhas infantis, com versões e canções de sua autoria, com trilha sonora e arranjos de Radamés. Como primeiros lançamentos, as histórias de Chapeuzinho Vermelho e A formiguinha e a Neve. Radamés dizia que esse trabalho, continuado ao longo dos anos, foi uma de suas maiores fontes de renda.

     

    Disco Chapeuzinho Vermelho

     

    • Ainda neste ano, a Continental lança, de Radamés, os choros Saltitante e Sofisticado, interpretados pelo conjunto Rio Serenader’s.

     

     

    • Radamés compõe:
      • Quatro quadros de Jan Zach, para quarteto de cordasobra inspirada em quatro quadros do amigo pintor canadense: I. Poeta brasileiro; II. Santo do Nosso Século; III. Passagem; IV.  Feira.
      • Três movimentos para piano, orquestra de cordas e tímpanos – a Tomás Terán.

     

     

    • Do exílio, Getúlio apóia a candidatura à presidência de Eurico Gaspar Dutra, ex-ministro da Guerra de Vargas, que vence as eleições de 1945.

     

    • O general Eurico Gaspar Dutra assume a presidência do Brasil,  em 31 de janeiro de 1946.

     

    • Em uma de suas primeiras medidas, Dutra proíbe o jogo em todo o território nacional e fecha os cassinos. Desemprega, do dia para a noite, músicos, atores, dançarinos, coristas, além de vários profissionais de outras áreas.

     

    • É promulgada a 4ª Constituição da República, com modelo liberal-democrata. A nova constituição institui o direito e obrigação de voto a todos os brasileiros alfabetizados, maiores de 18 anos, de ambos os sexos; traz de volta o federalismo e a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

     

  • 1947

    • A BBC de Londres grava e apresenta as Três Miniaturas – valsa, modinha e jongo para orquestra, de Radamés Gnattali, com a Yorkshire Symphony Orchestra e regência de Maurice Wiles. O maestro escreve a Radamés, na capa interna da partitura:

     

    Partitura
    “A great pleasure to conduct these Three Miniatures, in particular the brilliantly scored Jongo”.

     

    • O musicólogo Vasco Mariz dedica à obra de Radamés uma coluna especial no Correio da Manhã de 21/12.

     

     

     

     

    • Radamés compõe:
      • Concerto [nº 1] para violino e grande orquestra – dedicado a Oscar Borgerth
      • Sonata [nº1] para piano À Mina (apelido de Vera, sua primeira esposa)

     

     

     

    • Discurso do presidente Truman na ONU marca o início da Guerra Fria. Por isso, o Brasil rompe relações com a União Soviética e o governo Dutra decreta a extinção do Partido Comunista.

     

    • É inventado, nos Estados Unidos, o transistor, que vai revolucionar e impulsionar o desenvolvimento da ciência eletrônica.
  • 1948

    • Radamés estreia o Samba em três andamentos, para piano, orquestra de cordas e percussão típica das escolas de samba dos Rio de Janeiro, em festa promovida pela Rádio Nacional, em comemoração ao aniversário de um ano do programa Dicionário Toddy, redigido e apresentado por Fernando Lobo [1].

     

     

    • Radamés compõe:
      • Samba em 3 andamentos, para piano, orquestra de cordas e percussão (posteriormente, Radamés renomeou a peça de Brasiliana nº 2)
      • Brasiliana n° 3 – sinfonia, para grande orquestra
      • Impressões da cidade, para piano e orquestra
      • Trapaceando (choro) para piano

     

    Brasiliana n° 3 (sinfonia) para orquestra
    Brasiliana n° 3 (sinfonia)

     

     

    • A Columbia americana inventa o Lp (Long-play) de 33 1/3 rotações por minuto. A Philco cria e coloca no mercado o aparelho que vai permitir a reprodução do novo disco.

     

    • É fundado, em São Paulo, o Teatro Brasileiro de Comédia, TBC.

     

    • Cesar Lattes, cientista brasileiro, identifica e isola o méson, partícula do átomo.

     

    • Ben Gurion proclama a República de Israel.

     

    • No dia 10 de dezembro a Assembleia Geral das Nações Unidas – ONU, proclama a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

     

    _________

    [1] Fonte: Hemeroteca da Biblioteca Nacional – A Manhã, 30/04/1948

  • 1949

    • O Instituto Brasil – Estados Unidos (IBEU) apresenta, no Auditório da ABI (Associação Brasileira de Imprensa), um concerto em que é executada a Sonatina para violino e piano [1] de Radamés Gnattali, com Oscar Borgerth ao violino e o autor ao piano.

     

    programas_

     

    • O Theatro Municipal do Rio de Janeiro apresenta, em sua Temporada de Arte Nacional [2], um concerto inteiramente dedicado à obra de Radamés. No programa: Concerto para violoncelo e orquestra (1941) – solista, Iberê Gomes Grosso; Concerto Romântico para piano e orquestra (1949) – solista, o autor; Três miniaturas para orquestra (1940) e Brasiliana nº 1 (1944), ambas para orquestra; regentes, Leo Peracchi e Radamés Gnattali.

     

    programas_

     

     

    recortes_

    Correio da Manhã (RJ) >
    “Festival Radamés Gnattali” –
    por Eurico Noqueira França

     

     

     

    Concerto Romântico para piano e orquestra
    I – Allegro (trecho)
    Orquestra Sinfônica Nacional
    Alceo Bocchino, regente
    Radamés Gnattali, piano
    SOARMEC – S-004 (1997)

     

     

    • A gravadora Continental lança, de Radamés Gnattali, prenunciando a bossa nova, o samba-canção Fim de tarde, interpretado pelo Quarteto Continental, formado por José Menezes (violão), Radamés (piano), Pedro Vidal (contrabaixo) e Luciano Perrone (bateria). Ainda neste ano a Continental lança, de Radamés, o choro Bate-papo e a valsa Caminho da saudade, interpretados por Zé Bodega (José de Araújo Oliveira, sax-tenor), Radamés (piano) e Luciano Perrone (bateria).

     

     

     

    • Radamés compõe:
      •  Brasiliana n° 4 para piano dedicada a Heitor Alimonda
      • Concerto Romântico – para piano e grande orquestra
      • Concerto Romântico – para dois pianos (transcrição da parte de orquestra para o segundo piano)
      • Variações sobre uma série de sons para violino e piano, com orquestra de câmara

     

     

     

    • Surge a Companhia Cinematográfica Vera Cruz e fecham os estúdios da Cinédia.

     

    • Getúlio Vargas lança-se candidato à presidência da República.

     

     

    __________

    • [1] Esta peça, embora esteja referida na imprensa e em programas de concertos, encontra-se desaparecida do arquivo particular do autor.
    • [2] A Temporada de Arte Nacional era um evento anual, instituído pelo prefeito Ângelo Mendes de Moraes, através do decreto-lei nº 299 de 10 de dezembro de 1948. Pelo decreto, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro ficava obrigado a dedicar dois meses da sua programação anual à apresentação de obras de artistas nacionais. Em seu artigo 4º, o decreto recomendava que, em cada temporada, “(…) deverá ser apresentada, tanto quanto possível, uma ópera inédita de compositor brasileiro.” O “ tanto quanto possível” tirava, em parte, a força do decreto.
  • 1950

    • Em 18 de janeiro, o violinista Oscar Borgerth executa, em primeira audição, o Concerto nº 1 para violino e orquestra (1947) de Radamés Gnattali, com a Orquestra Sinfônica da Rádio Nacional,  sob a regência do maestro Léo Peracchi.

     

    •  A Brasiliana nº 3 (sinfonia),  de 1948,  é executada, no Rio de Janeiro, pela Orquestra Sinfônica Brasileira, com regência do maestro Erich Kleiber.

     

    • A Suíte para pequena orquestra, de 1940, é executada, em Belo Horizonte (MG), pela Orquestra Sinfônica de Belo Horizonte, sob a regência do maestro Guido Santorsola.

     

    • Radamés assina a direção musical do filme Estrela da manhã, de Jonald (Oswaldo Marques de Oliveira), com canções de Dorival Caymmi interpretadas pelo próprio compositor.

     

    • A Rádio Nacional cria o Departamento de Música Brasileira e lança, como primeiro projeto, o programa Instantâneos do Brasil, tendo à frente Mário Faccini, Paulo Tapajós e Radamés Gnattali; é um programa semelhante ao Instantâneos Sonoros do Brasil, lançado em 1940 por Almirante, José Mauro e Radamés.

     

    recortes_
    A Noite (RJ), 22/08/1950.

     

     

    • Em parceria com Alberto Ribeiro, Radamés grava, na Continental, o seu mais célebre samba-canção, Amargura, interpretado pelo cantor Lucio Alves, com Cópia e sua Orquestra. Grava, ainda, a toada Segura a saia, iaiá, interpretada pelo Trio Melodia, e a Quadrilha de coquinhos, com a Orquestra Filarmônica de Maxambomba.

     

    • A gravadora Continental, resgatando a memória do compositor Noel Rosa, injustamente esquecido, lança um álbum com 3 fonogramas de 78 rpm, com 6 canções do compositor (sendo duas em parceria com Vadico), interpretadas pela cantora Aracy de Almeida. Os arranjos e acompanhamentos ficam a cargo de Radamés (Vero e sua orquestra). A ilustração da capa do álbum é de Di Cavalcanti.

     

     

    • Radamés compõe:
      •  Concerto Carioca nº 1, para violão elétrico, piano, percussão popular e grande orquestra [1] – dedicado a Laurindo Almeida
      • Sonatina coreográfica (Quatro movimentos dançantes), para piano
      • Tocata em ritmo de samba [nº 1] para violão

     

     

    • O compositor paulista Camargo Guarnieri publica a sua Carta aberta aos músicos e críticos do Brasil, em que ataca enfaticamente o atonalismo, considerando o dodecafonismo um sistema de composição antibrasileiro.

     

    • Em 18 de setembro vai ao ar a TV Tupi de São Paulo, primeira emissora de televisão da América Latina.

     

    • Getúlio Vargas é eleito presidente do Brasil, pelo PTB, com 49% dos votos válidos.

     

    • Em 02 de junho é inaugurado o Estádio Mário Filho, mais conhecido como Maracanã, no Rio de Janeiro, especialmente construído para o IV Campeonato Mundial de Futebol, que se realiza no Brasil. O scratch brasileiro se classifica para a final, mas perde de 2 X 1 para o Uruguai, que se sagra campeão do mundo.

     

     

    __________

    [1] O Concerto Carioca nº 1 foi gravado em 1965, na gravadora Continental, em comemoração ao 4º centenário da cidade do Rio de Janeiro, com a Orquestra Sinfônica Continental, tendo Radamés ao piano, José Menezes ao violão elétrico e regência de Henrique Morelembaum.