profissional_
Foto: acervo particular Radamés Gnattali Radamés, primeiro à direita, ao violão, participa de um conjunto de choro, em Porto Alegre. Na foto, uma apresentação do grupo no bairro 'Tristesa', em 1925.
profissional_
Foto: acervo particular Radamés Gnattal Quando jovem, em Porto Alegre, Radamés já participava de conjuntos de choro, tocando violão ou cavaquinho, ou como pianista de pequenas orquestras de cinema e confeitarias.
profissional_
Radamés ladeado pelos músicos da Camerata Carioca. Em pé, a partir da esquerda, Luiz Otávio Braga (violão 7 cordas), Beto Cazes (percussão) e Henrique Cazes (cavaquinho). Sentados, Joel Nascimento (bandolim), João Pedro Borges (violão), Radamés Gnattali (piano e arranjos) e Mauricio Carrilho (violão).
profissional_
Foto: arquivo MIS Radamés e o grupo vocal Os Cariocas, na Rádio Nacional, na década de 1950. A partir de Radamés, ao piano, vê-se Badeco (Emanoel Barbosa Furtado), Waldir Prado Viviani, Ismael Neto (irmão de Severino), Severino Filho e Quartera (Jorge Quartarone).
Foto: arquivo MIS Iberê Gomes Grosso (esquerda), Radamés e Romeu Ghipsman. (1937)
amigos_
Foto: arquivo MIS Radamés e o violonista Laurindo de Almeida, em meados da década de 1940.
Foto: arquivo MIS A partir da esquerda, Radamés, o cantor e compositor Silvio Caldas, a cantora Dolores Duran. Ao violão, o compositor Valzinho.
amigos_
Foto: arquivo MIS Radamés (à esquerda) e Dilermando Reis (1916-1977). Dedicado ao violonista Juan Antonio Mercadal (Cuba, 1925-1998, EUA), o Concerto nº 1 para violão e orquestra, de Radamés, foi gravado por Dilermando Reis em 1975.
amigos_
Radamés e Pixinguinha. Foto: acervo particular Radamés Gnattali
profissional_
Fonte da informação: Barão do Pandeiro. Foto: Arquivo MIS Radamés e Pixinguinha, em 1954, no 1º Festival da Velha Guarda, em São Paulo.
Fonte da informação: Barão do Pandeiro (Via Oscar Bolão e Marcílio Lopes). Foto: arquivo MIS 1º Festival da Velha Guarda, São Paulo, 1954. Foto tirada por Jacob do Bandolim. Da esquerda para a direita, Caldeira (afoxé), Pixinguinha, Radamés e João da Baiana.
amigos_
Foto: arquivo MIS Radamés e Jacob do Bandolim (Jacob Pick Bittencourt), em 1954, no 1º Festival da Velha Guarda, em São Paulo.
Garoto, violão; Billy Blanco, pandeiro; Radamés, flauta; Chiquinho, acordeom. Foto: acervo particular Radamés Gnattali. 'Eu sempre gostei muito de flauta, ficava no sítio tocando, e o Garoto ficava me acompanhando. Era o pior flautista acompanhado pelo melhor violonista'.
Intimidade_
Foto: arquivo MIS Chiquinho, no acordeom, Radamés, no reco-reco.
Porto Alegre, sem indicação de data. Em Porto Alegre (RS), encontro com amigos. a partir da esquerda, Carlos Barone, Radamés, o maestro e professor Salvador Campanella, um amigo não identificado. Fonte da informação: Arthur de Faria, compositor e pianista
profissional_
Foto: arquivo MIS 'Quando os maestros se encontram', programa que reunia os maiores regentes e arranjadores da Rádio Nacional. Nesta foto, vê-se alguns dos legendários arranjadores da Rádio Nacional: a partir da esquerda, Alexandre Gnattali, Romeu Ghipsman, Ércole Varetto, Radamés Gnattali e Léo Peracchi.
amigos_
Foto: acervo particular Radamés Gnattali Foto autografada pelo famoso luthier: ‘Ao Mestre dos Mestres R. Gnatali com admiração de Romeo Di Giorgio. S. Paulo, 25-3-53’.
Radamés (centro), entre Jacob do Bandolim (à esquerda) e o poeta e diretor de teatro Paschoal Carlos Magno. Foto: arquivo MIS
Cinquentenário de Radamés
Foto: arquivo MIS 1956. Festa casada: cinquentenário de Radamés e 20 anos da Rádio Nacional. Na foto, da esquerda para a direita, os maestros Chiquinho e Ércole Varetto, o percussionista Luciano Perrone, maestro Radamés Gnattali, maestro Léo Peracchi, o violinista e maestro Romeu Ghipsman.
profissional_
Foto: arquivo MIS 1956. O maestro, violinista Romeu Ghipsman, representando os músicos da orquestra, amigos e colegas da Rádio Nacional, passa às mãos de Radamés o presente do seu 50º aniversário. O cinquentenário de Radamés e os 20 anos da Rádio Nacional, em 1956, são comemorados em noite de gala no auditório da emissora, com coquetel e a transmissão radiofônica de um concerto com composições e arranjos de Radamés, a cargo da Orquestra Brasileira, sob a regência de Léo Peracchi. Várias homenagens são prestadas a Radamés, como a dos músicos, funcionarios e diretores da Rádio Nacional, bem como da fábrica de discos Continental, do Tijuca Tênis Club. Uma placa de bronze é descerrada com a inscrição 'Estúdio Radamés Gnattali', que batiza o principal estúdio da emissora.
amigos_
Foto: acervo particular Radamés Gnattali Foto dedicada a Radamés por Edu da Gaita em reconhecimento à composição do Concertino nº 1 para harmônica e orquestra, executado, em primeira audição mundial, por Edu com a Orquestra Sinfônica Brasileira, em 1958. ‘Radamés, as palavras são poucas e limitadas para exprimir o reconhecimento que te devo pela honra que me proporcionaste escrevendo o ‘concertino’ para a minha gaita. Aqui fica o grande e sincero abraço do Edu. Rio, 13-8-957’.
profissional_
Foto: Wilton Montenegro Radamés e Chiquinho do Acordeom.
Intimidade_
Foto: Nelly Gnattali Radamés e Dorival Caymmi // - Caymmi: ‘Radamés tem uma vida muito rica’ // - Radamés: ‘É... rica de notas musicais’.
profissional_
Foto: Toca Seabra 1985, Radamés e Tom gravam juntos, a dois pianos, o choro 'Meu amigo Radamés', de Tom Jobim.
Radamés Gnattali e Raphael Rabello
Foto: Wilton Montenegro Radamés e o violonista Raphael Rabello.